História de igaci

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

BREVE HISTÓRICO

O município de Igaci deve ao português João de Lima Acioli o início de seu povoamento.Elechegou por volta do século XIX implantando um sítio que desenvolveu a região. O grande número de fontes de água que existiam na região fez com que o local fosse chamado de “Olhos D’Água do Acioli”. A água abundante contribuiu para que muitas famílias do Sertão mudassem para lá. O maior incremento, porém, foi a partir de 1877, quando Alagoas sofreu uma de suas maiores estiagens. A fartura de água determinou a formação do primeiro aglomerado urbano no local.

Entre os pioneiros que contribuíram para o rápido desenvolvimento do núcleo, atuaram Serapião Sampaio, Santos Silva, Capitão Bartolomeu de Souza Vergueiros, Justino Luz e as famílias Torres e Tomás de Albuquerque. Destaca-se, também, a família de Carlos Pontes, que mais tarde tornou-se um grande nome da literatura e da política do país.

A Lei Estadual 428, de 15 de junho de 1904, elevou Olhos D’Água do Acioli à categoria de vila, como distrito judiciário de Palmeira dos Índios. A implantação da estrada de ferro pela Great Western, hoje RFFSA, também contribuiu para a afirmação econômica da vila. Nessa mesma época, teve o nome mudado para Igaci, que, em língua indígena, significa exatamente Olhos D’Água.

A emancipação política de Igaci aconteceu por força da Lei 2.087, de 27 de dezembro de 1957, instalando-se oficialmente a 12 de janeiro de 1959, desmembrado de Palmeira dos Índio.

Bandeira Oficial de Igaci

Brasão



HINO OFICIAL DE IGACI

Letra e Música: Padre Luiz Farias Torres

 1ª ESTROFE

Por tua gente, tua terra e tua história,

Progressista por teus feitos imortais,

Tua independência é lidima vitória,

Verbena linda, entre doces mananciais.

RefrãoSalve, salve Olhos d’Água do Accioly, venturosa Igaci!

2ª ESTROFE

Na pátria história os teus filhos já fulguram,

Os Albuquerques, Torres, Sampaio Luz,

E a ala jovem, ciência, cresce, estuda e estua

Por ver-te grande em terras de Santa Cruz.

Refrão: Salve, salve Olhos d’Água do Accioly, venturosa Igaci! 

3ª ESTROFE

Em tuas terras ofereces a fartura

De tua opulente vegetação.

Teus rebanhos e variada agricultura

A teus bravos filhos o progresso dão.

RefrãoSalve, salve Olhos d’Água do Accioly, venturosa Igaci!

4ª ESTROFE

Patrimônio foste, em era há mui passada,

Da Irmandade do Santíssimo Sacramento.

Qual luzeiro, desde a origem és fadada

A fulgurar da Pátria no firmamento.

Refrão: Salve, salve Olhos d’Água do Accioly, venturosa Igaci!

5ª ESTROFE

Que a Virgem da Saúde, tua guia,

Secular, que te acompanha em tua história,

Te conceda dias cheios de alegria

Na escalada de tua humana trajetória.

Refrão: Salve, salve Olhos d’Água do Accioly, venturosa Igaci!

Igaci Terra de um povo Bom

Apesar de pequena e economicamente passiva, Igaci é uma cidade hospitaleira, de gente simples e de tradições pacíficas.

De origem indígena, a palavra IGACI significa Olhos d’Água. Seu povoamento teve início em meados do século XIX, quando o português João de Lima Acioli, um aventureiro caçador vindo de Água Branca em busca de caças e sem nenhum propósito colonizador, se instalou naquela localidade construindo um abrigo, denominado tocaia, para se abrigar dos fenômenos naturais e se camuflar, o que facilitaria a caçada. Escolheu o local por causa da grande quantidade de fontes de água que existiam na região. Após sua volta a Água Branca o local ficou denominado Olhos d’Água do Acioli.

Uma longa estiagem, ocorrida em 1877, obrigou sertanejos a se deslocarem para a região em busca da água abundante, o que contribuiu para a formação do primeiro povoado, tornando-se vila em 1904.

O distrito judiciário, pertencente a Palmeira dos Índios foi criado em 15 de junho de 1904, pela Lei Estadual n.° 428. Sua EMANCIPAÇÃO POLÍTICA ocorreu em 27 de dezembro de 1957, pela Lei 2.087, instalando-se oficialmente em 12 de janeiro de 1958, tornando-se município com o nome de Igaci, administrado pelo prefeito nomeado Pedro Soares da Silva.

Antes de sua emancipação, em 1932 teve inicio a construção do açude do rio Coruripe, açude Jacuípe. Sua construção se iniciou por trabalho braçal, com 120 homens vindos, principalmente, do sertão de Alagoas e Pernambuco. Para ali vieram em regime de Frente de Serviços, paga com recursos federais. Suas obras foram paralisadas em 1934, sendo retomadas em 1937. Os operários acabavam se abrigando embaixo de árvores, onde suas mulheres até davam a luz. Esse açude foi liberado para a pesca entre 1939 e 1940.

A implantação da Estrada de Ferro construída pela Great Western Railway Company, hoje Rede Ferroviária Federal, impulsionou o desenvolvimento da localidade. 

Em 06 de julho de 1947 foi inaugurada a Estação da Rede Ferroviária, com tráfego de trens de passageiros e cargas entre as cidades de Arapiraca e Maceió em dias alternados. No mesmo ano foi implantado os serviços de Correios e Telégrafos. Também foi construida e inaugurada uma vila (a Vila da Linha ou das casas de turma) para abrigar os operários da rede ferroviária.

Em 1950 foi construida uma CASA DE FORÇA, que gerava e fornecia eletricidade para a iluminação urbana da localidade, acendendo suas luzes até as 22 horas.

Em 1954 foi implantada a Escola Mista Arnon de Mello, na 3ª linha da Colônia Agrícola.

Após sua emancipação a prefeitura funcionava num prédio alugado, de propriedade do prefeito Pedro Soares, onde hoje está localizada a Farmácia Romisa. Mais tarde, na administração de Manoel Sampaio, a prefeitura foi transferida para outro prédio, de sua propriedade, onde hoje funcionam o Mercadinho do Helber e a Agropecuária N. Sra. da Saúde. Ali funcionou por vários anos, até que o prefeito Lourenço Ferreira inaugurou o prédio atual.

Suas terras não pertenciam somente ao município de Palmeira dos Índios, mas também aos municípios de Limoeiro de Anadia e Atalaia. Foram pioneiros na sua construção e desenvolvimento, bem como na luta pela emancipação política, Serapião Sampaio, Santos Silva, Capitão Bartolomeu de Souza Vergueiros, Justino Luz, e a família de Carlos Pontes.

Em 1958 foi inaugurado o Cine Betânia, cinema de propriedade de senhor Pedro Soares da Silva, primeiro prefeito do município, cujo nome fazia menção a uma de suas filhas. Foi posteriormente vendido aos senhores Lourenço Ferreira da Silva em sociedade com João Jeremias. Funcionava no prédio onde hoje funciona o Banco do Brasil.

A principal praça da cidade (praça N. Senhora da Saúde) foi construída no primeiro mandato do prefeito Benedito de Almeida Silva. Para construção de tal obra foi necessário a demolição de várias casas ali existentes, bem como a retirada de um pequeno morro. Para isso, o prefeito contratou uma máquina vindo da Alemanha, em virtude da tamanha dificuldade de se encontrar maquinários desse tipo na região.


Lourenço Ferreira foi responsável por obras de grande importância para o desenvolvimento do município, como a construção da sede administrativa (que antes funcionava em prédios alugados), a pavimentação de ruas, a canalização de água potável, vindo da barragem da Carangueja, entre outras obras. Deixou como herdeiros políticos o vereador José Alcino e a atual vice-prefeita dra. Ana Cláudia.

O Padre Luiz Farias Torres muito contribuiu para o seu desenvolvimento. Foi um grande entusiasta, visionário, fundador da Escola Cenecista Monsenhor Macedo, construida com recursos municipais, que muito contribuiu para a formação educacional dos igacienses.

José Petrúcio de Oliveira Barbosa foi outro que também contribuiu para o desenvolvimento do município, alavancando a sua produção agrícola, levando água encanada e energia elétrica aos diversos povoados do município, melhorando, assim, as condições de vida dessa gente.

Oliveiro Torres Piancó é um dos maiores prefeitos da história de Igaci , sendo o prefeito que mais fez obras em nosso Município , obras de grande importância como as reformas de todos os postos de saúde construções de escolas, ginásios de esportes, reformou a pacata praça nossa senhora da saúde asfaltou as principais ruas da cidade e estar saneando a cidade ,pavimentou diversas ruas, construiu poços artesianos para localidades que sofreram com a falta de água, conseguiu tratores para arado do pequeno agricultor,  transporte escolar com aquisições de vários ônibus facilitando o transporte do universitário seja do zona rural para zona urbana ou da cidade para cidade vizinhas, um dos compromissos do prefeito Dr Oliveiro é a Educação, investiu no esporte Amador da cidade sempre realizando campeonatos e prática de esportes na cidade entre outras obras e benefícios para população. Uma das suas bandeiras é a educação o único prefeito a realizar concurso público transparente dando oportunidade a quem estuda, o prefeito Dr Oliveiro estar no seu segundo mandato, podendo eleger seu sucessor.

Pessoas Públicas de Igaci

Na educação destacam-se Severino Ferreira da Silva (uma enciclopédia viva), Ivonaldo Pereira de Lima, Maria Alvese Maria Lopes, entre tantos outros.

Na saúde merecem destaque a Dra. Ana Cláudia (conceituada pediatra), Herbert Toledo (gastro-endocrinologista) e o Atual Prefeito e Médico Oliveiro Torres.

Na área militar, Bergson Toledo (delegado da Polícia Federal, reconhecido nacionalmente) e Barros (do alto escalão da marinha) entre outros.

Na área religiosa, os padres Luiz Carlos de Deus (na Espanha), Francisco Florêncio de Paula Neto (na Itália), o padre Francisco Paulino (em Manaus) e o padre José Torres.

Vale lembrar o nome do escritor Carlos Pontes, um dos grandes jurístas brasileiro, autor de vários livros na área e Deputado Federal pelo estado do Espírito Santo. Sua genitora lecionou na cidade por vários anos.

Figuras inusitadas sempre existiram por aqui. São pessoas simples, mas conhecidas por toda a sua população. Dentre elas podemos citar:

Mané Goiaba, o Beleza, Mané de França, Pistola, Zé Luzia, Dona Áurea (conhecida como Burra Cega) e Pedrão…


É bom citar nomes como o do vereador Valdir, nunca foi eleito, mas sempre foi uma autoridade.


Geografia


Geograficamente, Igaci está situada a 240 metros acima do nível do mar, entre os municípios de Palmeira dos Índios e Arapiraca, numa área territorial de aproximadamente 334 km². Limita-se com Craíbas, Cacimbinhas, Major Izidoro, Estrela de Alagoas, Palmeira dos Índios, Taquarana, Coité do Nóia e Arapiraca.

Sua principal atividade econômica é a agricultura e a pecuária, apesar de seu subsolo ser rico em diversos minerais ainda inexplorados.

OBSERVAÇÃO AINDA ESTAMOS PESQUISANDO SOBRE A HISTÓRIA IGACI SOBRE A LIDERANÇAS E VAMOS REGISTRAR ATÉ PORQUE É MUITO DIFÍCIL HOJE A GENTE ACHAR ALGO REGISTRADO SOBRE NOSSA CIDADE QUEM TIVER REGISTROS PODE MANDAR NO NOSSO E-MAIL 

igacinoticia@gmail.com

Telefones de Contato: (82) 99975-8219 | (82) 99625-9075

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.